Aleitamento Materno Exclusivo até os seis meses

quinta-feira, 26 de maio de 2016
postado por Tatiane K

Eu e a Lara conseguimos o Aleitamento Materno Exclusivo até os seis meses de idade dela conforme a orientação da OMS (Organização Mundial da Saúde). 

Nesse post vou falar somente da minha experiência com a amamentação até os 6 meses da Lara. No futuro farei outros posts falando dos próximos meses/anos.

Sempre digo, além da preparação para o parto, considero a amamentação um desafio ainda maior. Claro, para as mães que realmente querem amamentar, que lutam até o fim para oferecer todo seu amor ao bebê em forma de líquido.


Eu não tive problemas com a amamentação. 100% de sucesso até aqui, não sei o que dor, absolutamente nada. Só alegria, eu amo amamentar. Essa ótima experiência com a amamentação é fruto da minha preparação durante a gestação. Contratei uma consultora em Aleitamento Materno quando estava grávida de 4 meses (março/2015). Investimento de R$ 150,00 por uma hora de consulta online, via Skype. Os detalhes estão nesse post "Preparação para amamentação durante a gestação".



Foto by Suélyn. Lara com 20 dias.
Meu conselho para quem realmente deseja amamentar: Leia, pesquise, estude tudo sobre amamentação durante a gravidez.

Sugestão para o enxoval:




Eu comprei essa bomba elétrica Medela Swing nova no OLX. Valor investido R$ 750,00. Caro, mas ela se pagou umas mil vezes desse valor pago. Eu não conheço outras bombas de ordenha, só sei dizer que esse modelo é muito bom. Recomendo!
  • Livro "Manual Prático de Aleitamento Materno" do pediatra Carlos González 

Esse livro é vendido na Editora Timo, hoje custa R$ 60,00. Ótimo presente para uma gestante. Fica a dica de ouro!

No meu plano de parto coloquei que queria que a Lara viesse diretamente para meu colo e que a amamentação fosse na primeira hora. Esse ponto houve respeito e consegui até a pega correta com a ajuda da doula.
Eu amo essa foto, momento mais esperado durante a gravidez.
O leite (colostro) desceu na hora do parto. No segundo dia, eu levei um susto quando vi os peitos o dobro do tamanho, foi muito rápido. Fiquei assustada com o tamanho, sutiã tamanho 50, eu usava tamanho 44 rs. Entrei no hospital segunda de madrugada para o parto e só recebemos alta na quinta a tarde. Fiquei com medo no último dia do peito empedrar, estava muito cheio. Eu amamentava a Lara de hora em hora. Para aliviar os peitos e para ela não perder tanto peso. É normal o bebê perder em média 10% do peso logo após o nascimento. Lara nasceu com 2.460 kg e baixou para 2.320 kg. Nos dias seguintes ela recuperou bem rápido o peso. Lembro que nos primeiros 2 meses ela engordou em média 45 gramas por dia. Bochechas gigantes rsrs.



Ainda tem gente que fala da existência do leite fraco, a mamãe precisa de orientação de profissional capacitado. 

Logo que cheguei em casa fui testar a bomba elétrica Medela Swing. A ordenha deu um alívio tão grande (risos). Com ingurgitamento eu tentava esvaziar o peito através da amamentação livre demanda e/ou fazia a ordenha manual com bomba, várias vezes ao dia. Quanto mais tirava o leite, mais era produzido, mas é recomendável sempre extrair leite quando é necessário. Os primeiros leites ordenhados joguei fora, fiquei com medo de não ter feito com a higienização correta. Como eu tinha muito leite, parecia uma torneira e a Lara não dava conta de engolir, sempre fazia uma pequena ordenha antes e após amamentava ela, senão ela se afogava. Resolvemos ir no Banco de Leite para ver sobre a doação de leite. Lá elas ensinaram a fazer a massagem, fizeram uma ordenha na hora e me deram vidros para armazenar o leite para a doação. Também fizeram a coleta de sangue e analisaram meus exames do pré natal para ver se eu era apta para a doação de leite. Com muita alegria sou doadora de leite materno (até hoje).


Por volta dos 3 meses tive a sensação que a produção do leite diminuiu consideravelmente e fiquei com muito medo do leite secar. Então fazia a ordenha com a bomba elétrica Medela Swing várias vezes ao dia entre as mamadas para estimular a produção do leite. Em uma semana voltou com tudo e manteve estável a produção de leite materno para a Lara e para a doação. Ufa! Tomei e ainda tomo o Chá da Mamãe da Weleda, algumas vezes por semana, deu resultado. 



Fui firme e forte com o Aleitamento Materno EXCLUSIVO até os 6 meses e 3 dias. Ficava igual uma fera ao redor da minha cria para ninguém oferecer qualquer alimento a ela. É complicado, ainda são poucas pessoas e profissionais da saúde atualizados quanto a recomendação da OMS sobre a amamentação exclusiva até os seis meses de idade. Explicar que não precisa de água e nem de chá é mais complicado ainda. O entendimento do que significa a palavra Exclusivo... deixa pra lá. Por isso, eu estava ali de plantão do lado da minha cria rs. Não mexe que eu avanço como uma mamãe leoa.

Como disse acima, a Lara nasceu com 2460 kg e como 6 meses estava com 7520 kg. Engordou em média 27 gramas por dia e cresceu 21 cm. Perfeito!

O diferencial é fazer o bebê chegar no leite posterior, o leite gordo. Até hoje (10 meses) a Lara mama um peito por vez, vai até a última gota do leite bem gordinho. A minha produção de leite é alta. Cada mãe tem que seguir seus instintos e observar se o seu bebê está mamando o leite gordo e se há necessidade da segunda mama. A consultora de amamentação disse que sempre deve oferecer o segundo peito.



O maior segredo do sucesso da amamentação é a livre demanda. Ainda hoje, e inclusive, o banco de leite dá a orientação de amamentar a cada 3 horas de 30 a 40 minutos. Piada! Eu pergunto: "Todos os bebês foram programados para isso?" A Lara sempre mamou rápido, no máximo 15 minutos e logo solta o peito. Nem amarrando ela no peito iria ficar de 30 a 40 minutos. Poucas vezes ela mamou com intervalo de 3 horas. Em média de 2 horas, era o momento "teta". Nunca calculei, nem programei e muito menos olhei para o relógio. Eu e ela seguíamos o nosso extinto. Deixa a natureza agir. Pitacos? Faz de conta que escuta para não perder a amizade rs

Quanto a amamentação noturna, era a cada 3 horas em média. Teve algumas noites a cada 4 horas, outras de hora em hora. Sem regras, acordou, resmungou: teta. Tentava dar tapinhas na bundinha para voltar a dormir, as vezes voltava a dormir e as vezes não. Era fome, sede, saudades...

Tenho acompanhamento trimestral de uma nutricionista atualizada Dr. Fernanda Neckel, ela me passou as seguintes orientações por volta dos 3 meses, quando achei que o leite ia secar:

Além da alimentação da lactante e das ''manobras'' na amamentação, incluindo a pegada correta e a livre oferta ao bebê, os fitoterápicos funcho e erva doce apresentam efeito galactogênico, ou seja, você poderá fazer uso de ambos em infusão, em torno de 2 a 3 xícaras/dia, porém observe se a Lara terá cólica intestinal. Uma estratégia legal é ofertar mais leite na parte da noite, depois das 18h00, pois a noite há um pico na produção da prolactina. Pode observar que a noite você acaba produzindo mais leite. A prolactina atua na produção do leite, porém a ocitocina que regula a ejeção do leite, e para ter a produção desse hormônio é fundamental a lactante estar calma, qualquer alteração no seu humor poderá diminuir a liberação do leiteQuanto a dieta, tente sempre incluir mais frutas e vegetais ao longo do dia, evite ficar com muita fome, pois isso reflete na produção de leite, por isso coma a cada 2-3 horas. Sempre tente incluir carboidrato + proteína + gordura, lembre-se, a energia que você manda para o bebê provém do que você come, sendo que nessa fase você gasta muito mais energia.

A orientação dela foi perfeito para mim. Deu certo.

Outra dica importante da Cristina Cairo citado no seu livro Linguagem do Corpo, a cura pelo amor:

A criança precisa de total atenção e paz no ambiente na hora da mamada. Ela precisa se sentir segura e protegida nos braços da mãe para conseguir desenvolver a concentração e a direção em seu cérebro. A mãe precisa se isolar com sua criança e permanecer olhando nos olhos do seu filho enquanto ele mama. O olhar da mãe, ou da mulher que o alimenta nessa fase, é a mais importante do que a própria mamada. O cérebro e o coração da criança sentem segurança, proteção que é desejada, amada e confortada, através do olhar da mãe.

Lindo! Simplesmente amor.


Ah! Aqui foi zero chupeta e mamadeira, dizem que há confusão de bicos. Não deixei dar a chupeta e quando deram (marido) ela não aceitou, fiquei feliz da vida haha. 


Abaixo deixo uma lista de alguns artigos científicos e manuais referentes a amamentação e o aumento da produção do leite (galactogênese):



Uso de galactogogos no manejo da amamentação revisão integrativa da literatura:



Lactação insuficiente: uma proposta de atuação do enfermeiro:



Mitos e crenças sobre o aleitamento materno:



Problemas comuns na lactação e seu manejo:

Como ajudar as mães a amamentar:

Manual de aleitamento materno:

Com esse post espero ajudar as outras mamães e incentivar as gestantes se preparar para a amamentação. Dúvidas, sugestões deixe um comentário.

Abraços


1 comentários:

  1. Lindo artigo! A amamentação é realmente maravilhosa para o bebê, em todos os sentidos. No meu caso, superadas algumas dificuldades na primeira semana, consegui amamentar exclusivamente no peito até os 6 meses, livre demanda. Meu pequeno mamava mais ou menos a cada uma hora e meia, dia e noite, demorava cerca de 30 a 40 minutos mamando. Uma rotina bem puxada, mas muito gratificante, e ele crescia e ganhava peso rapidamente. Depois, a introdução de alimentos, adaptação na escolinha, os primeiros passos... agora, completando dois anos, está desmamando, só mama ainda uma vez por dia, e não dura 10 minutos. Mas o vínculo afetivo se formou de forma muito sólida. E a confiança que ele tem na mamãe certamente se construiu nas incontáveis horas mamando calmamente no colinho aconchegante. Obrigada pelo seu artigo, vai ajudar muitas pessoas com certeza!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...